3 dicas infalíveis para manter a pastagem para equinos saudável4 min de leitura

A pastagem para equinos é considerada como a forma mais barata e eficiente de alimentação. Por serem herbívoros, os cavalos costumam passar a maior parte do seu tempo pastejando. Aliás, a mastigação tanto de gramíneas como de leguminosas de boa qualidade é um ato que para a maioria dos animais é sinônimo de prazer. E mais, as pastagens servem para o relaxamento muscular, atua no equilíbrio psíquico do animal e na síntese de vitamina D.

Cuidar para ter uma gramínea de qualidade é o maior desafio do produtor, que muitas vezes têm dúvida sobre quais práticas adotar no manejo. O que é perfeitamente compreensível, afinal é dali que o animal tira seu alimento e energia necessária para ter bom desempenho e produtividade. Então, toda atenção possível com esse assunto ainda é pouca.

Neste momento a principal pergunta que os produtores fazem é: Como manter saudável uma pastagem para equinos? Você também tem esta dúvida? Então fique com a gente até o final pois, traremos dicas muito importantes.

1 Acerte na escolha da forrageira

Escolher a espécie de pastagem para equinos mais adequada para o pastejo é fator determinante para o sucesso. Neste caso, para ser considerada de qualidade, a forrageira precisa atender adequadamente às necessidades nutricionais dos animais. Além disso, deve possuir bom manejo e fertilidade.

Para acertar na escolha, é preciso conhecer as características de comportamento e crescimento da planta. E mais, se são adaptáveis às condições climáticas, de manejo e o sistema de produção que será adotado.

Capins como o do gênero Cynodon são muito utilizados. Isso, porque apresentam boa características de cobertura do solo, aceitabilidade e rebrote. Abaixo listamos algumas outras características desejáveis que vão te ajudar na escolha. Confira:

  • Devem possuir topografia mais plana;
  • Com vegetação que cobre o terreno;
  • Ter boa cobertura do solo;
  • Permita o rápido rebrote;
  • Resistentes ao pisoteio;
  • Boa palatabilidade do animal;
  • Alto teor de proteínas e fibras.

Entre outros capins muito utilizados, podemos destacar o Massai, Tifton, Mombaça e o Llanero. Inegavelmente, todos têm grande aceitação pelos animais e bons valores nutritivos e de proteínas. Outro fator determinante é a facilidade de manejo e plantio por mudas ou sementes.

2 Conheça o comportamento alimentar dos equinos

Os equinos são animais que possuem um pastejo bastante seletivo e passam boa parte de suas vidas no pasto. No geral, o comportamento de pastejo costuma ser influenciado por fatores externos como o clima, o sistema de manejo, a disponibilidade e digestibilidade de pastagens e a época do ano.

Os equinos costumam pastejar por cerca de 10 a 12 horas/dia com períodos intercalados de descanso. A duração do pastejo depende diretamente da qualidade das forragens disponíveis e de fatores climáticos. Para atender suas exigências nutricionais, podem usar grande quantidade de forragem. Porém, possuem o estômago pequeno, o que justifica o consumo de alimento várias vezes ao dia.

Outro ponto importante é que os cavalos possuem exigências mínimas de fibra para que possam garantir sua integridade física e psicológica. A primeira, porque precisam da energia para desenvolver as atividades as quais são destinados. E psicológica para assegurar que o animal tenha um tempo de ocupação entre 13 e 16 horas, próximo ao que ele tem quando está em liberdade.

3 Identifique os sinais de degradação

Após realizar a escolha e plantio da pastagem mais adequada para os equinos e preciso conservá-las. Alguns sinais ajudam a identificar que a pastagem não está em boas condições. Se surgirem plantas daninhas, diminuição da fertilidade e áreas vazias sem gramíneas é um sinal que você precisa intervir rapidamente. Abaixo listamos as principais causas de degradação, confira:  

  • Superlotação de animais;
  • Uso excessivo do fogo;
  • Ausência de adubação;
  • Disponibilidade incorreta de água;
  • Falhas no controle de pragas.

Muitos produtores cometem o erro de implantar áreas de pastagem muito superiores a sua disponibilidade de capital. Com isso, deixam de seguir os moldes adequados para obter com qualidade a pastagem para equinos. É mais vantajoso reduzir o tamanho da área e priorizar o uso de técnicas adequadas, como a nutrição do solo e manejo das plantas.

Fonte: Escola do Cavalo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Departamentos