Série: Cavalos e Suas Origens – Quarto de milha

O Quarto de milha é uma raça de cavalo originária dos Estados Unidos. Começou a formar-se com a chegada dos europeus ao continente norte-americano, por volta de 1611, pelo cruzamento dos cavalos trazidos pelos ingleses e espanhóis, e cavalos de indígenas (mustangues), também de ascendência ibérica. Posteriormente, dezessete garanhões e éguas, originalmente puro-sangue ingleses, foram levados para os Estados Unidos. Entre os Puro-Sangues Ingleses importados figura Janus, um filho de Godolphin Barb.

Com o tempo surgiu um equino compacto e bastante musculoso, capaz de correr distâncias curtas em grande velocidade. O primeiro Stud Book com registro genealógico da raça iniciou em 1941, no Texas. O registro para cavalo Quarto de milha ainda aceita a inclusão de Puro-Sangues Ingleses, ou seja, são aceitos cruzamentos QM x QM ou PSI x QM.

Características

A raça quarto de milha é muito conhecida pela agilidade e sua principal característica é a velocidade, além da capacidade de fazer paradas bruscas. Este equino possui andamento trotado, musculatura bem desenvolvida, garupa longa, orelhas pequenas e olhos grandes e bem afastados.

História

Na época em que a guerra da independência começou, os colonizadores tinham tornado-se muito afeiçoados às corridas , que em geral eram disputada entre três cavalos que corriam até um quarto de milha (402,33600 metros). Mas outras atividades também foram desempenhadas com sucesso por estes animais.

Linhagens diferentes foram sendo definidas para cada atividade. Hoje são bem distintas e tem uma seleção rigorosa. Mas a principal característica do quarto de milha é a versatilidade. Corridas, provas de vaqueiros em geral e trabalho no campo. Teve bastante aceitação no trabalho e lida do campo devido a sua docilidade, robustez e velocidade. No nordeste do Brasil, o Quarto de milha tornou-se o melhor em vaquejada. No sul do Brasil, nos trabalhos de campo, encontra-se em concorrência com o cavalo crioulo.

O quarto de milha de corrida

Os primeiros registros de corridas de animais que seriam formadores da raça quarto de milha em formação remonta a 1674, em Henrico County, no estado da Virgínia. Cada corrida era composta por apenas dois cavalos e correram pelas ruas de vilas e pistas, e mesmo em clareiras em áreas desmatadas. Essa corrida de velocidade em pequenas distâncias nas primeiras colônias foi o primeiro exemplo de corrida do cavalo quarto de milha nos Estados Unidos.

Na época em que a guerra da Independência dos Estados Unidos começou, os colonizadores tinham se tornado muito afeiçoados à corrida de um quarto de milha de distância, 402 metros.

A corrida de cavalo quarto de milha permaneceu numa base informal com corridas de finais de semana, em centenas de pequenas pistas que surgiram como pioneiras, e assim continuou por vários anos., difundido-se pelos Estados Unidos.

A corrida organizada de cavalo quarto de milha teve início em Tucson, no Arizona. Em 1943, uma pista foi construída e projetada especialmente para este fim, em Rillito Park, Tucson.

Curiosidades 

A origem do Cavalo Quarto de Milha remete aos Estados Unidos, no ano de 1600, por conta do cruzamento de animais da raça árabe e turca. As características mais marcantes deste animal são a força, velocidade e versatilidade.

No Brasil o Quarto de Milha chegou por volta dos anos 1950, por conta da importação de seis animais. Com o tempo, a pressão de empresários para esse ramo cresceu.

De temperamento dócil e pelagem variada, possui trote elegante e é muito utilizado em esportes equestres, sendo um dos principais animais de competições olímpicas, além de leilões por todo o país.

De acordo com a Associação Brasileira dos Quarto de Milha (ABQM), fundada em 1969, em São Paulo, existem atualmente cerca de 285 mil animais desta raça espalhados em dezenas de haras.

A criação deste animal vem envolvendo uma vasta gama de veterinários, cuidadores, zootecnistas e empresários que atuam em diferentes estabelecimentos, totalizando quase cerca de 300 mil empregos diretos.

Fonte: Giro Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Departamentos