Série: Cavalos e suas origens – Crioulo

O cavalo Crioulo tem sua origem nos equinos Andaluz e Jacas espanhóis, trazidos da península ibérica no século XVI pelos colonizadores.  Estabelecidos na América, principalmente na Argentina, Chile, Uruguai, Paraguai, Peru e sul do Brasil, muitos desses animais passaram a viver livres, formando manadas selvagens que, durante cerca de quatro séculos, enfrentaram temperaturas extremas e condições adversas de alimentação.

Essas adversidades imprimiram nestes animais algumas de suas características mais marcantes: rusticidade e resistência. Em meados do século XIX, fazendeiros do sul do continente começaram a tomar consciência da importância e da qualidade dos cavalos que vagavam por suas terras.

Esta nova raça, bem definida e com características próprias, passou a ser preservada, vindo a ganhar notoriedade mundial a partir do século XX, quando a seleção técnica exaltou o seu valor e comprovou suas virtudes. Em 1932, foi fundada a Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos – ABCCC, com a missão de preservar e difundir o cavalo Crioulo no país.

Cinquenta anos depois, a prova do Freio de Ouro veio para ficar, tornando-se uma importante ferramenta de seleção, uma vez que motivou a otimização da raça, tanto morfológica quanto funcionalmente.

A transmissão da prova pela televisão aumentou a visibilidade do cavalo Crioulo, cujo universo movimenta anualmente R$ 1,28 bilhão. Hoje são mais de 300 mil animais distribuídos em 100% do território nacional.

Características

Descendente direto dos cavalos espanhóis, a raça é conhecida pela sua excepcional força, resistência e saúde. Famoso pela longevidade, o crioulo consegue viver em situações de extremo frio ou calor com o mínimo de alimentação. É um cavalo de sela, com caráter tranquilo, inteligente e dócil. Também é ágil e corajoso.

Aptidões: O Crioulo é, por excelência, um cavalo de trabalho, ideal na lida com gado, para passeio e enduro, podendo ser usado para percorrer grandes distâncias. Se treinado, pode se tornar atleta, com destaque em provas como o Freio de Ouro e provas de rédeas.

Morfologia: O Cavalo Crioulo possui um porte pequeno e seu tamanho varia entre 1,35m a 1,52m, com média de 1,45m em machos e fêmeas.

Aparência

Sua pelagem clássica é o gateado, no caso, um baio escuro, com uma listra preta. Desde o fim da crineira até a cauda, estrias escuras nos membros e muitas vezes nas cernelhas. Porém, todas as pelagens são admitidas.

A cabeça do cavalo tem um perfil retilíneo, curto e largo, delineado e em forma de pirâmide. Fronte larga e bem desenvolvida, orelhas pequenas e afastadas da base. Olhos grandes, proeminentes, com vivacidade e expressivos, afastados sobre o bordo do plano frontal.

O Cavalo Crioulo tem uma estrutura óssea compacta e musculatura extremamente consistente. Toda sua anatomia agrega as características de agilidade e resistência.

Esportes

O cavalo crioulo é quase um fenômeno social no Sul! Ele agrega pessoas, cria amizades e envolve toda a família com objetivos sadios.

A ascensão de simples hobby para a profissionalização em competições é um processo natural entre os fãs do Crioulo. Quem começa gostando das cavalgadas de final de semana acaba se interessando por esportes equestres. No RS o Crioulo é considerado animal símbolo do Estado.

Fonte: Multicavalos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Departamentos